Seja bem vindo (a) ao site da Gastrocentro

Funcionamento : Segunda a Sexta - 7h às 18h | Sábado - 7h às 11h30
  Contato : 98 3235 . 4047

Esteatose Hepática – Dra. Amanda Pires

O que é Esteatose Hepática (Gordura no fígado)?

A Esteatose hepática, popularmente conhecida como “Gordura no Fígado”, é um problema de saúde que acontece quando as células do fígado são infiltradas por células de gordura. É normal haver presença de gordura no fígado, no entanto quando este índice chega a 5% ou mais o quadro deve ser tratado o mais brevemente possível.

Se não tratada corretamente, a Esteatose hepática pode provocar, a médio e longo prazo, uma inflamação capaz de evoluir para quadros mais graves de hepatite gordurosa, cirrose hepática e até câncer no fígado. Nesses casos, o fígado não só aumenta de tamanho, como também adquire um aspecto amarelado. O transplante, muitas vezes, pode ser a única indicação para situações mais críticas.

O quadro é reversível com mudanças de estilo e hábitos de vida, que devem ser mais saudáveis e com as devidas orientações médicas. Cuide de sua saúde, a Esteatose Hepática é um problema sério que pode levar à morte.

O que causa a Esteatose Hepática (Gordura no fígado)?

Existem duas classificações de Esteatose Hepática, que têm causas diferentes.

  • Alcoólicas: provocadas pelo consumo excessivo de álcool (regular ou esporádico)
  • Não alcoólicas: provocadas por hábitos e estilos de vida inadequados.

A Esteatose Hepática Não Alcoólica é causada por:

  • Má alimentação.
  • Colesterol alto.
  • Pressão alta.
  • Perda ou ganho muito rápido de peso.
  • Uso de medicamentos (corticoides, estrógeno, amiodarona, antirretrovirais, diltiazen e tamoxifeno).
  • Inflamações crônicas no fígado.

Fatores de risco para a Esteatose Hepática (Gordura no fígado)

Pessoas com obesidade, sedentárias e que fazem consumo de álcool, regular ou não, têm mais tendências para desenvolvimento da Esteatose Hepática. Mulheres também têm um risco maior de desenvolver excesso de gordura no figado, tendo em vista que o hormônio estrógeno, produzido naturalmente pelo corpo feminino, propicia o acúmulo dessa gordura.

Outro fator de risco são pessoas com ascendência oriental ou hispânica. Descendentes de africanos têm menos chances de desenvolver o quadro. Em um número bem menor de casos, pessoas magras, que não consomem bebidas alcoólicas e que não têm alterações de colesterol e glicemia, podem desenvolver quadros de esteatose hepática gordurosa.

Em crianças nos primeiros anos de vida, a esteatose hepática é causada principalmente por doenças metabólicas. Já nas crianças maiores e adolescentes, as causas são semelhantes às dos adultos e ligadas diretamente ao estilo de vida. O tratamento na infância é essencial para prevenir danos irreversíveis na fase adulta, além da conscientização da criança e familiares para hábitos de vida saudáveis.

WhatsApp chat